Cheque Reforma muda a cara de distrito de Taboquinha


 

Com menos de dois mil habitantes, um pequeno distrito do município de Padre Bernardo chamado Taboquinha já foi beneficiado com 144 Cheques Mais Moradia, modalidade Reforma, do Governo de Goiás, por meio da Agência Goiana de Habitação (Agehab). O programa estadual mudou a cara do distrito, conforme informações da comerciante Terezinha de Jesus Moura, de 52 anos, moradora de Taboquinha.

Segundo ela, a população é muito carente e muita gente pensava em abandonar o local por causa da precariedade das moradias. “Mas agora já dá para perceber nas ruas as casas pintadas, os telhados consertados, os muros erguidos. O Cheque Reforma trouxe vida à nossa cidade”, revelou. O investimento da Agehab no distrito é de R$ 432 mil. Taboquinha fica a 23 quilômetros de Padre Bernardo e sua maior fonte de renda é a agricultura. Além das 144 famílias beneficiadas em Taboquinha, o município recebeu ainda mais 277 Cheques Reforma, totalizando um investimento de quase R$ 900 mil em Padre Bernardo.

O presidente da Agehab, Luiz Stival, afirma que na modalidade Reforma o programa Cheque Mais Moradia cumpre outro papel de grande alcance social ao promover melhorias em moradias em condições precárias. Segundo ele, já foram atendidas com reforma habitacional mais de 130 mil famílias em todo o Estado com o valor de até R$ 3 mil por unidade habitacional. “Esse é um programa único no Brasil. Nenhum outro Estado faz investimentos dessa natureza na reforma de moradias precárias, que também é déficit habitacional”, explica o presidente da Agehab.

Luiz Stival ressalta que a Agehab tem feito parceria com todos os municípios goianos e entidades sem fins lucrativos para construção e reforma de moradias urbanas e rurais. “A exemplo de Taboquinha, os benefícios habitacionais do Governo de Goiás estão sendo levados a todos os municípios e comunidades. É uma determinação do nosso governador Marconi Perillo que esse atendimento seja feito para contemplar as famílias que mais precisam em todas as regiões do Estado”, afirma Luiz Stival. 

Governo na palma da mão

Pular para o conteúdo