CLIPPING 18 DE JULHO DE 2013


CLIPPING 18 DE JULHO DE 2013

 

 

 

RBC AM/FM

 

 

 

Programa O Mundo em Sua Casa

 

 

 

Agehab inaugura unidade para atender moradores da região noroeste

 

 

 

Veiculado em 18/07/2013, entre 7 e 8 horas

 

 

 

Para ouvir: acessar arquivo em anexo

 

 

 

 

 

 

 

TV Brasil Central

 

 

 

Jornal TBC News 2º Edição

 

 

 

Veiculado em 17/07/2013, entre 18 e 19 horas

 

 

 

A Agehab inaugurou o Centro de Informações do Programa Casa Legal no Jardim Curitiba II e cadastrou moradores que ainda não têm escritura da casa. A Agência também iniciou o Cadastramento das famílias da Vila Mutirão para terceira e última etapa de regularização dos imóveis.

 

 

 

Para assisitir: acessar arquivo em anexo

 

 

 

 

 

 

 

GOIÁS AGORA

 

 

 

http://www.goiasagora.go.gov.br/familias-da-vila-mutirao-recebem-cadastradores-da-agehab/

 

 

 

17 de julho de 2013 – 18:38

 

 

 

Famílias da Vila Mutirão recebem cadastradores da Agehab

 

 

 

Depois da inauguração do Centro de Informação do Programa Casa Legal no Jardim Curitiba II, o presidente da Agência Goiana de Habitação (Agehab), Marcos Abrão Roriz, acompanhou o trabalho das equipes de cadastradores na Vila Mutirão. Uma das primeiras cadastradas nesta última etapa da regularização fundiária da Vila Mutirão – que deverá contemplar 726 famílias – Maria de Lourdes Dias, moradora do bairro desde 1997, recebeu com entusiasmo o presidente e a equipe da Agehab. “Estou sem escritura, sem emprego e tentando me aposentar. Uma casa sem escritura você só é dono, quando está dentro dela. Saí um dia de viagem e quando voltei já tinha gente tentando entrar nela. A escritura da minha casa é o que mais desejo”, contou Maria de Lourdes, enquanto respondia às perguntas dos cadastradores. Ao final, a casa dela recebeu o selo numerado do cadastramento feito pela Agehab. Divorciada, 62 anos, mãe de dois filhos, Maria de Lourdes já planeja melhorias na casa depois que receber a escritura. “A primeira coisa que vou fazer é um empréstimo no banco para reformar minha casa. A minha casa é boa, grande, só faltam mesmo melhorias e a escritura”, salientou. Luzia Mendes de Moraes, 44 anos, casada, dois filhos, recebeu com grande expectativa o cadastrador da Agehab. Moradora de casa de placa há oito anos, Luzia contou que juntando o salário dela de costureira e do marido, Moacir de Araújo, que é motorista, a renda da família não chega a R$ 1.500,00. “Impossível fazer melhorias na casa. Essa notícia do Cheque para compra de material de construção é boa demais. Quero fazer tudo que puder. Tirar as placas e fazer paredes de tijolo, trocar o telhado, levantar o prumo da casa. O calor aqui é grande demais”, relatou. Também foi com entusiasmo que Sarah Terezinha Vicente Marques respondeu ao questionário do cadastrador. A casa era do sogro, Antenor Paulo Ferreira, que faleceu e foi herdada pelo marido Dione dos Santos, 32. “Meu marido cresceu aqui nesta casa. A única melhoria foi um barracão que a minha cunhada fez. A casa continua do mesmo jeito e nossa única esperança é receber esse benefício, porque nossa renda é em torno de mil reais”, relatou. Maria das Dores Sobrinho, 59 anos, moradora do bairro há mais de 20 anos, abre as portas da casa para mostrar a situação do imóvel, que nunca passou por uma reforma. “Quero muito tirar as placas, melhorar o telhado que está todo furado”, contou assim que soube o motivo da visita do cadastrador da Agehab. Mãe de oito filhos, com um portador de necessidades especiais, ela contou que também não tem a escritura, apenas um documento que comprova a compra de uma posse. O marido, José Luiz Sobrinho, 73 anos, aposentado, complementa a renda da família trabalhando em um viveiro. “O dinheiro é pouco para sustentar a família. Infelizmente, nunca consegui fazer reforma na casa. Se isso acontecer, vai ser a minha maior alegria”, disse Maria das Dores. Mais informações: (62) 3096-5016

 

 

 

 

 

 

 

PORTAL A VOZ

 

 

 

http://www.portalavoz.com/index.php/component/k2/item/3330-agehab-inicia-cadastramento-na-vil%C3%A3o-mutir%C3%A3o-e-inaugura-centro-de-informa%C3%A7%C3%A3o-no-jardim-curitiba.html

 

 

 

Quarta, 17 Julho 2013

 

 

 

Agehab inicia cadastramento na Vila Mutirão e inaugura Centro de Informação no Jardim Curitiba

 

 

 

Ações fazem parte do processo de regularização fundiária na região noroeste de Goiânia e do trabalho de melhoria das antigas casas de placa com concessão de R$ 10 mil do Cheque Mais Moradia por unidade para famílias com renda de até três salários mínimos

 

 

 

A Agência Goiana de Habitação (Agehab) inaugura nesta quarta-feira, às 9 horas, no Jardim Curitiba II – Avenida do Povo, ao lado do CMEI – o Centro de Informação do Programa Casa Legal – Sua Escritura na Mão, em parceria com a Caixa Econômica Federal. Além do início das atividades do Centro de Informação Casa Legal, a Agehab abre na manhã de quarta-feira cadastramento das famílias da Vila Mutirão para a terceira e última etapa da regularização fundiária do bairro e dos moradores das casas de placa interessados em fazer melhorias na moradia, com a concessão do Cheque Mais Moradia – modalidade melhoria – no valor de R$ 10 mil para famílias com renda até três salários mínimos (faixa da habitação de interesse social).

 

 

 

Logo após a inauguração da Casa Legal, com as presenças do presidente da Agehab, Marcos Abrão Roriz, da superintendente da Caixa, Marise Fernandes, lideranças comunitárias e moradores da Região Noroeste, as equipes da Agência darão início às visitas domiciliares na Vila Mutirão para o cadastro das famílias. A Vila Mutirão foi o primeiro bairro a ser beneficiado pelo Casa Legal, com a entrega de 296 escrituras em julho de 2011, no lançamento do programa que irá regularizar e escriturar aproximadamente 15 mil imóveis distribuídos em 13 bairros da região.

 

 

 

No bairro, as famílias esperam há 30 anos pela escritura de suas moradias. São 3.069 imóveis na Vila Mutirão (I, II e III), dos quais 1.418 de propriedade do Estado. Já foram entregues escrituras para 463 famílias e outras 193 estão em andamento. O cadastramento será das 762 famílias restantes. A Agehab orienta que os moradores aguardem a visita do cadastradores em suas residências.

 

 

 

Melhoria das casas de placa

 

 

 

O Governo de Goiás também abriu oportunidade para que as famílias da Vila Mutirão tenham acesso ao Cheque Mais Moradia para melhoria das casas de placas (paredes de cimento bruto, sem alvenaria). A estimativa é de que sejam beneficiadas cerca de 2.700 famílias moradoras de casas de placa. O benefício é de R$ 10 mil, específico para aquisição de material de construção. O primeiro cadastramento foi feito no primeiro Governo Junto de Você da Região Noroeste, em abril último. Na ocasião, 250 famílias se inscreveram para receber o benefício. Na visita domiciliar, a equipe da Agehab faz o cadastro das famílias e coleta cópias dos documentos necessários. Os cadastradores estarão uniformizados e portando crachás de identificação.

 

 

 

Regularização fundiária plena

 

 

 

A implantação do Centro de Informação Casa Legal é um dos adicionais que as quatro etapas do Jardim Curitiba receberá, configurando o processo chamado de regularização fundiária plena. Os moradores deste bairro receberão, além das escrituras de suas casas, melhorias urbanas. Ao todo serão mais de R$ 34 milhões do Programa de Aceleração de Crescimento (PAC), do Governo Federal, que serão empregados em parceria com a Caixa Econômica Federal. O projeto de urbanização para o Jardim Curitiba I a IV inclui asfalto, rede de esgoto e de escoamento da água das chuvas e preservação ambiental. O bairro vai receber também equipamentos sociais e a construção de 315 unidades habitacionais para famílias de áreas de risco e preservação ambiental.

 

 

 

Essa casa agora é minha”

 

 

 

Centenas de famílias da região noroeste de Goiânia já foram beneficiadas com o Programa Casa Legal. Uma delas é dona Maria Lúcia de Sousa Kowal, a Tia Lúcia, da Vila Mutirão, que recebeu em 2011 sua escritura. Ela fez parte do primeiro grupo que recebeu a escritura, disponibilizada sem nenhum custo para os moradores com renda de até quatro salários mínimos. Entusiasmada com o programa, ela tem motivado os vizinhos a atender os chamamentos da Agehab. “Muita gente não acreditava, mas quando assinaram as escrituras viram que o programa é pra valer mesmo. A escritura era o grande sonho da gente. Olho para a minha casa com uma alegria muito grande, pois tenho como provar para qualquer um que ela é minha. É só mostrar a escritura, com o selo do cartório”, entusiasma-se.

 

 

 

No bairros São Domingos, o aposentado Joaquim Amâncio é só sorrisos. Um dos líderes comunitários que dá apoio na mobilização da população do bairro, ele lembra que chegou ao bairro há duas décadas e nesta época teve de viver em uma barraca de lona. “A luta foi grande, mas graças ao empenho da equipe da Agehab e os parceiros, enfim estamos conseguindo realizar o nosso sonho”, diz o sorridente senhor.

 

Governo na palma da mão

Pular para o conteúdo