Estudantes da PUC Goiás conhecem programas habitacionais do Governo de Goiás


Estudantes do curso de Engenharia Civil de Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Goiás conheceram nesta quarta-feira (29/05) o funcionamento dos programas habitacionais em execução do Governo de Goiás durante a 1ª Jornada de Engenharia Civil da PUC. A oportunidade ocorreu durante palestra do presidente da Agência, Marcos Abrão Roriz, na maratona acadêmica, pela manhã, para um público de cerca de 300 participantes. O convite à Agehab foi pela Solidez Empresa Júnior de Engenharia da PUC, que organizou a jornada, e o Centro Acadêmico de Engenharia Civil da universidade.

No encontro, Marcos Abrão Roriz falou sobre os dois eixos de atuação da Agehab, construção e regularização fundiária, e traçou o panorama que as políticas habitacionais estaduais geram no mercado de trabalho de Engenharia Civil. “Saímos de um panorama de atendimento de 34% dos municípios goianos, no início da gestão, para um quadro de atendimento que em 2013 já chega a 88% deles. Até o final de 2014, nossa meta é ter atingido 100%”, explicou o presidente da Agehab aos estudantes, que se mostraram interessados principalmente pelo mercado que está sendo aberto nas frentes de trabalho pelo interior do Estado, além das regiões metropolitanas.

Para o estudante do 1º período Brenner Rios, de 18 anos, informações como as fornecidas pela Agehab durante a jornada são importantes para situar os alunos sobre o que os espera no mercado de trabalho. Pelos dados ao qual teve acesso, ele se animou. “Muita gente na faculdade tem dificuldade em relacionar teoria e prática. Isso foi animador”, diz o estudante, que se interessou principalmente pelos empreendimentos de construção em parcerias com movimentos sociais na zona rural, a exemplo do Movimento Camponês Popular (MCP) e Movimento dos Trabalhadores Sem Terra.

Agehab construtora

Mais experiente no curso, aluno do 6º período, Gabriel Phillipe Porzia, de 25 anos, se disse surpreso com a informação de que a Agehab assumiu o papel também de construtora, com empreendimentos em Goiânia, a exemplo dos residenciais Real Conquista e João Paulo II, e não somente como indutora da habitação de interesse social. “É interessante ver esse intermédio”, disse, sobre a postura proativa da Agência no mercado. “Fiquei interessado principalmente no mercado promissor do interior, onde ainda existem poucos profissionais preparados”, ressaltou.

Para o presidente da Solidez Empresa Júnior de Engenharia da PUC, Mariel Rodolfo Caetano, também acadêmico do curso da universidade, os participantes da jornada se interessaram bastante também por alguma das técnicas de trabalho empregadas pela Agência. Ele cita o exemplo do Residencial Real Conquista, onde está instalada a Fábrica de Casas pelo sistema batizado de Jet Casa, com paredes de tijolo pré-moldadas. “Fizemos uma visita e percebemos que essa gestão da Agehab é muito ativa e dinâmica neste novo modelo construtivo”, elogia.

A visita a que o estudante se refere foi realizada em fevereiro passado, quando uma turma formada por 45 estudantes do curso, de vários períodos, visitou o canteiro de obras do Real Conquista, onde o Governo de Goiás, por meio da Agehab, conclui projeto de construção de 2.400 unidades habitacionais. Foi o primeiro contato com um canteiro de obras para a maioria dos estudantes. A visita, monitorada pelo engenheiro encarregado da obra, Himerson Farias, teve resultado prático para muitos dos alunos visitantes. “Foi uma oportunidade de aliar teoria e prática e proporcionar aos alunos mais embasamento para a escolha de uma especialização”, ressaltou o presidente do Centro Acadêmico, Wagner Camargo Neto, que também esteve na visita e foi um dos coordenadores da jornada, cuja promoção se estenderá por toda a quarta-feira.

Governo na palma da mão

Pular para o conteúdo