Famílias de Aparecida comemoram ação do Casa Legal no Jardim Tiradentes

Sérgio Willian

No dia de seu aniversário (12/04) de 53 anos, a dona de casa Maria de Fátima Rosa de Moura ganhou o que considera um grande presente. Ela teve em mãos pela primeira vez a escritura de sua moradia no Jardim Tiradentes, em Aparecida de Goiânia. “É uma grande emoção morar por 23 anos em uma casa e justamente em um dia tão especial ser chamada para assinar a escritura. A gente nunca perdeu a esperança e agora a expectativa aumenta ainda mais”, revelou a aniversariante.
1.250 famílias do Jardim Tiradentes foram convocadas pela Agência Goiana de Habitação (Agehab) para assinar as escrituras, uma das últimas etapas do processo de regularização fundiária do bairro. “Estamos próximos aos moradores realizando mais este sonho. Nos próximos meses entregaremos as escrituras, depois do registro em cartório”, afirmou o presidente da Agehab, Luiz Stival. Segundo ele, em poucos dias cerca de 500 moradores do Colina Azul, outro bairro de Aparecida atendido pelo Programa Casa Legal – Sua Escritura na Mão, receberão as escrituras. O presidente disse que um total de 7 mil famílias devem ser beneficiadas somente em Aparecida. Outras 350 escrituras já foram entregues no setor Independência Mansões.
O Casa Legal é um programa do Governo de Goiás, por meio da Agehab, premiado nacionalmente como o melhor em regularização fundiária. “Todo o processo é feito gratuitamente para as famílias com renda até quatro salários ou moradores originários que vivem em áreas de domínio do Estado de Goiás”, destacou Luiz Stival. A aposentada Maria Antônia de Oliveira, 69 anos, não escondia o contentamento com a chegada do Casa Legal ao bairro. Ela mora há 22 anos no Jardim Primavera e tentou em outras ocasiões escriturar o imóvel. Antes, a Agehab emitia uma autorização que permitia ao morador lavrar a escritura em cartório por conta própria. Sem recursos, ela desistiu. “Ter o lugarzinho da gente escriturado é maravilha, não é? É só bênção de Deus”, resumiu Maria Antônia, em sua simplicidade.
Segundo Luiz Stival, o programa resgata uma dívida histórica com as famílias, e seu sucesso é graças à sensibilidade do governador Marconi Perillo, que decidiu encarar a situação de frente. No Jardim Tiradentes, foi montada uma estrutura com 45 mesas de atendimento. O trabalho foi feito por cerca de 100 colaboradores da Agência. A dona de casa Divina Gomes de Jesus, 54 anos, elogiou a agilidade do atendimento. Ela trouxe cadeira de casa, lanche para a netinha, mas não precisou usar, pois rapidamente pôde retornar ao lar. “Fui bem atendida, recebi todas as instruções, foi melhor que o esperado”. Ela morou no bairro debaixo de lona, ouviu muita gente dizer que não daria em nada. “Eu lutei muito pela minha casa, perseverei, nunca pensei em vendê-la, e hoje estou aqui prestes a receber minha escritura”, comemorou.

Governo na palma da mão

Pular para o conteúdo