Famílias de quatro bairros de Trindade beneficiadas com escrituras pelo Governo de Goiás

A equipe da Agehab atendeu cerca de 150 famílias, em ação de entrega e coleta de assinatura dos beneficiários em escrituras. Foram 63 entregas e 85 coletas de assinaturas para registro em cartório

 

“Faz muito tempo que estou esperando por essa emoção! ”, afirmou dona Maria Aparecida Pires, 65 anos, ao receber a escritura de sua moradia, no Setor Dona Íris II, em Trindade, em ação do Governo de Goiás comandada pela Agência Goiana de Habitação (Agehab) nesta quinta-feira (12/12). Depois de 25 anos de espera, ela foi uma das 63 famílias beneficiadas com escritura no município. Cansada de pagar aluguel, Maria Aparecida chegou ao bairro para morar debaixo de barraca de lona, com o filho de 11 anos. Com ajuda dos vizinhos, conseguiu construir um cômodo, onde colocou seus pertences antes que a chuva forte desabasse. Aos poucos, foi aumentando a casa, onde hoje mora com o companheiro, o lavrador Romildo Cardoso da Silva, 75 anos. “Cheguei a pensar que morreria sem ver a escritura, mas graças a Deus estou com ela nas mãos”, confessou, emocionada.

A entrega das escrituras foi realizada na Escola Estadual da Polícia Militar de Goiás Professor José dos Reis Mendes. Além da entrega, foram coletadas assinaturas dos moradores em outras 85 escrituras, que serão enviadas ao cartório para registro. O diretor de Desenvolvimento Institucional, Lucas Gouveia, que representou o presidente da Agehab, Eurípedes do Carmo, afirmou que o Governo de Goiás está trabalhando para voltar ao bairro no primeiro semestre do próximo ano para entregar as escrituras assinadas pelas famílias nesta ação. “Regularização fundiária é prioridade da gestão Ronaldo Caiado. A Agehab está destravando os processos e intensificando ainda mais os trabalhos para alcançar todos os cantos do Estado”, disse.   

A chegada da regularização fundiária no Dona Íris é motivo de grande comemoração para a família Paniago, cuja história se confunde com a da fundação do próprio bairro. As irmãs Marta, 40 anos, e Mírian Paniago, 31 anos, se recordam do início do setor, nos anos 1990. Os pais delas trabalharam na demarcação dos lotes e abertura de ruas e traziam consigo as filhas, que aproveitavam para tomar banho no córrego. Mesmo trabalhando na construção de um novo bairro, a família ainda vivia de aluguel, mas quando conseguiram adquirir a moradia, escolheram o Dona Íris. Depois a própria Marta, com apenas 20 anos, comprou uma casa, também no bairro. Em seguida foi a vez de Mírian, que adquiriu o imóvel do lado, para ficar perto da família e ajudar a cuidar dos pais. As duas, irmãs e vizinhas de porta, foram convocadas pela Agehab para assinar as escrituras com muita satisfação.

Além dos bairros Dona Iris I e II, foram entregues escrituras do bairro Marise (Imperial) e Tamareiras. A aposentada Maria Madalena de Melo, 67 anos, foi presidente da Associação de Bairro do Tamareiras e conhece bem a história do local. Ela contou que se mudou para o bairro em 1992 e esperava a escritura desde 2001, quando os moradores conseguiram junto ao Governo Federal a quitação de parte do financiamento. Segundo ela, a maioria dos moradores seria despejada por falta de pagamento, pois o valor das parcelas tinha subido descontroladamente. “A escritura é um prêmio pela luta dos moradores do Tamareiras por suas moradias”, revelou.

O presidente da Agehab, Eurípedes do Carmo, lembrou que já foram entregues este ano cerca de 1.000 escrituras. Ele disse que a meta é fechar o ano com a entrega de mais de 2 mil escrituras. Na próxima semana, estão previstas entregas em Caiapônia e Senador Canedo.

Governo na palma da mão

Pular para o conteúdo