Famílias em Santo Antônio do Descoberto recebem recursos do Governo de Goiás para reformar casas


 

A espera para ter uma casa com mais dignidade acabou para dona Senhorinha Francisca da Conceição, 86 anos. Moradora de Santo Antônio do Descoberto, cidade no Entorno do Distrito Federal, a 180 quilômetros de Goiânia, parteira e benzedeira da comunidade, dona Sinhorinha dá graças a Deus por poder ver reformada a casa que abriga além dela, o filho, a nora e um neto. O sonho da mulher de figura pequena que se destacava entre a multidão pela alegria será realizado nas próximas semanas com os recursos que ela recebeu nesta sexta-feira (31/01) do programa Cheque Mais Moradia do Governo de Goiás, executado pela Agência Goiana de Habitação (Agehab). “Tô muito feliz. Vou arrumar todos os buracos do teto e vou colocar piso”, planeja.

 Ao todo foram entregues nesta sexta-feira 439 Cheques Mais Moradia, na modalidade Reforma, em um valor de mais de R$ 1,3 milhão. A entrega foi realizada em evento que contou com as presenças do vice-governador de Goiás, José Eliton, do presidente da Agehab, Luiz Stival, do secretário estadual de Infraestrutura, Cidades e Assuntos Metropolitanos, João Balestra, além do prefeito da cidade de cerca de 68 mil habitantes, Itamar Prado, entre outras autoridades. A equipe da Agehab fez o atendimento das famílias beneficiadas no Ginásio de Esportes ao lado da sede da prefeitura.

 Entre as famílias estava também a do repositor de supermercado, Railton Silva Mendes, de 22 anos, que acaba de ver nascer a filha Giovanna, de 11 meses, com a dona de casa Viviane Santos Lima, 32. Com renda mensal em torno de 800 reais, ele diz que nunca conseguiria comprar materiais de construção para fazer a ampliação necessária na casa com a chegada da primeira filha do casal. A falta de dinheiro para materiais foi preenchida pelos recursos do Cheque Mais Moradia. “A gente não teria condições sem essa ajuda e está muito feliz porque agora vai poder receber melhor a Giovanna. Vamos trocar a telha da área de serviço, rebocar a casa por fora e renovar a pintura”, adianta o pai.

 Mãe solteira de três filhos, uma de 14, outro de 8 e o caçula de 3, Salete dos Santos afirma que a vida não está fácil. Ela está desempregada e recebe auxílio do poder público com bolsa para que as crianças estudem. O benefício garante 214 reais por mês para sustentar quatro pessoas, incluindo ela mesma. Vez ou outra Salete faz pequenos serviços como manicure, mas mesmo assim não consegue fechar as contas domésticas. “Não consigo nem comprar o material para trabalhar. Se a cliente não tiver boa vontade de oferecer o esmalte, não trabalho”, conta. Por isso, ela comemora a quantia de R$ 3 mil que recebeu para colocar piso na casa, rebocar paredes externas e refazer o telhado. “Criar filhos não é fácil, mas poder fazer isso dentro da minha casa, melhorada com esse dinheiro, fica muito melhor.”

 

Regularização

O convênio para o Cheque Reforma com Santo Antônio do Descoberto foi firmado há poucos meses. Segundo o presidente da Agehab, a abertura para parcerias com prefeitura, como esta, continua valendo. “Nossa intenção é melhorar ainda mais o relacionamento com os municípios, nosso principal foco de trabalho na Agehab”, diz Luiz Stival. Santo Antônio do Descoberto faz ainda parte da chamada Região de Desenvolvimento Integrado do Entorno do Distrito Federal (Ride). Nesta região, a Agehab também atua com seu outro eixo de trabalho, a regularização fundiária do programa Casa Legal – Sua Escritura na Mão.

 

A Agência é responsável pela regularização de oito municípios da Ride: além de Santo Antônio, estão incluídos ainda Planaltina, Águas Lindas, Cidade Ocidental, Cristalina, Formosa, Luziânia e Novo Gama. Em junho o governador Marconi Perillo assinou ordem de serviço para elaboração do plano de regularização fundiária sustentável dos municípios da rede.

Governo na palma da mão

Pular para o conteúdo