Governo de Goiás entrega moradias em Santo Antônio de Goiás

 

 

Nova etapa do Residencial Santo Antônio recebeu R$ 3,43 milhões em recursos públicos para atender famílias que não tinham condições para a casa própria

O Governo de Goiás entrega nesta segunda-feira (30/08), às 15 horas, mais 43 moradias para famílias de Santo Antônio de Goiás, na Região Metropolitana de Goiânia. As casas compõem o módulo 2 do Residencial Santo Antônio, quem vem sendo construído na junção de recursos estaduais, com contrapartidas municipal e federal. Somente entras essas novas unidades foram investidos um total de R$ 3,43 milhões em recursos públicos. O Estado entrou com o aporte de R$ 645 mil, o que garantiu a destinação de outros R$ 2,87 milhões em recursos habitacionais da União.

A cidade de pouco mais de 6 mil habitantes, situada a menos de 30 quilômetros da capital, já havia recebido em 2020 outras 21 unidades para famílias que já usufruem do benefício desde setembro. O investimento da primeira entrega somou investimento de R$ 10,9 milhões, sendo R$ 315 mil vindos direto do tesouro estadual, garantido assim outros R$ 10,6 milhões em contrapartidas. O município receberá ainda, em breve, outras 73 novas unidades com investimento total de mais de R$ 5,8 milhões, sendo R$ 1,09 milhão do Estado e mais R$ 4,73 milhões em contrapartidas.

“A habitação é uma prioridade da gestão do governador Ronaldo Caiado, tanto que a Agehab trabalha de forma constante em prol da viabilização de recursos estaduais para que sejam garantidos aportes da União e o suporte dos municípios, cujo papel é fornecer os loteamentos legalizados para a construção das novas moradias”, explica o presidente da Agência Goiana de Habitação (Agehab), Lucas Fernandes. De acordo com ele, sem a movimentação estadual, municípios de pequeno porte, como Santo Antônio de Goiás, não conseguiriam ser atendidos para sanar seus déficits habitacionais.

O déficit em Santo Antônio, por exemplo, é de 396 unidades, conforme levantamento mais recente (2018) do Instituto Mauro Borges (IMB). A carência afeta a vida de todo o município e se não for sanada pode implicar em diversos problemas sociais ao longo dos anos. Quando esteve no município em 2020, para a entrega anterior de moradias, o governador Ronaldo Caiado ressaltou a importância de atender as pequenas cidades, especialmente as situadas próximas a polos urbanos. Segundo ele, a prioridade é sempre gerar qualidade de vida para as famílias ao ponto em que elas não sintam necessidade de migrar para cidades maiores, gerando assim outras pressões sociais.

O Residencial Santo Antônio Módulo terá ainda os módulos 3, com outras 43 unidades, e o módulo 4, com mais 30 moradias. No módulo 3, o investimento total será de pouco mais de R$ 3,4 milhões, sendo R$ 645 mil do Estado de Goiás. Já o módulo 4 custará pouco menos de R$ 2,4 milhões, com R$ 450 mil de aporte do tesouro público goiano.  

O município recebeu ainda recursos para construção de nova sede do Conselho Tutelar da cidade, na Vila Florença. O espaço também será inaugurado nesta segunda-feira.  No total foram investidos R$ 226.780,45, sendo R$ 130 do Estado e R$ 96.780,45 em recursos federais. A construção é fruto de um termo de ajustamento de conduta da Agehab com o Ministério Público do Trabalho (MPT) feito pela gestão anterior.

Investimentos na região

Na Região Metropolitana de Goiânia, está em andamento a construção de novas 2,6 mil unidades habitacionais, em investimento total de R$ 211 milhões (R$ 30,6 milhões em recursos estaduais somados a R$ 180,2 milhões em contrapartida); além de 10 equipamentos comunitários com aporte de R$ 2,5 milhões (R$ 1,4 milhão do Estado + R$ 1,1 milhão de contrapartida). Nos últimos dois anos e meio, outras 1.999 moradias já foram entregues na Região Metropolitana (investimento total de R$ 203 milhões), além de outros 4 equipamentos comunitários (R$ 612 mil totais). Na regularização fundiária, 2.807 escrituras de imóveis foram entregues.

A capital e seu entorno concentra grande parte do trabalho na área de habitação, mas claramente não é a única atendida pelo Governo de Goiás, por meio da Agehab. Em todo o Estado, em dois anos e meio de gestão, já foram entregues 4.690 moradias e estão garantidas outras 6.548 unidades habitacionais (já em andamento ou a iniciar) e 59 equipamentos comunitários. Eles somam investimentos total de R$ 477,4 milhões em recursos públicos, sendo R$ 106 milhões oriundos do Estado de Goiás e outros R$ 373,4 milhões em contrapartidas do governo federal e dos municípios. Entre moradias entregues, contratadas e em andamento, a administração Ronaldo Caiado já viabilizou investimento de cerca de R$ 900 milhões em habitação de interesse social. E vai investir mais R$ 500 milhões até o final do ano, recursos exclusivamente do Estado, para construir e reformar cerca de 10 mil unidades habitacionais até o final do próximo ano, com o Programa Goiás Social, em parceria direta com os municípios para doação a custo zero para as famílias mais vulneráveis.

 

Foto: Sérgio William

Governo na palma da mão

Pular para o conteúdo