Governo de Goiás realiza sonho da casa própria para famílias de Santo Antônio de Goiás e Córrego do Ouro

 

Acompanhado do presidente da Agehab, Lucas Fernandes, o governador entregou moradias para 71 famílias dos dois municípios, destacando que investimentos nos pequenos municípios é prioridade do Governo de Goiás

“Gostei demais do padrão de qualidade da casa. É das mais bem-feitas da cidade, tanto em estrutura quanto em beleza. Esse é o sonho da vida da gente realizado. É o dia mais feliz das nossas vidas, nem dormimos à noite”. Esse era o sentimento do zelador de condomínio e pedreiro nas horas vagas Donizete da Silva Carneiro, 36 anos, ao receber uma das 21 moradias entregues pelo governador Ronaldo Caiado na manhã de hoje (17/09) em Santo Antônio de Goiás, município de 10 mil habitantes da Região Metropolitana de Goiânia. Acompanhado da esposa Poliana Ribas Carneiro, 27 anos, e dos filhos Gustavo, cinco anos, e Gabrielly, nove anos, Donizete disse que esperou 10 anos para realizar o grande sonho da família de ter uma moradia própria, deixando para trás uma vida de aluguel e incertezas quanto ao futuro da família. A mudança já está marcada para o final de semana. “Essa ajuda de R$ 15 mil foi muito importante. Sem isso não teríamos condições de ter nossa casa. Todos aqui foram beneficiados”, afirmou Donizete Carneiro.
Durante a entrega das chaves às famílias beneficiadas pela construção da primeira etapa do residencial que terá 137 unidades habitacionais construídas pela Agência Goiana de Habitação (Agehab), em parceria com a Caixa e o município, que doou o terreno, o governador Ronaldo Caiado defendeu investimentos no interior, principalmente nos pequenos municípios para melhorar a qualidade de vida e dar condições aos moradores de permanecerem em suas cidades. “Nossa política é de melhorar a qualidade de vida no interior. É fazer chegar nas menores cidades segurança, educação de qualidade, saúde, industrialização, política habitacional, melhor índice de renda per capita, para que amanhã vocês não sejam pressionados por seus filhos a mudar para Goiânia”, destacou o governador, que estava acompanhado do presidente da Agehab, Lucas Fernandes.

O governador Ronaldo Caiado recebeu do superintendente Executivo da Caixa Econômica Federal, Valcedir Rosa, a notícia de que o Ministério de Desenvolvimento Regional remanejou o orçamento deste ano para encaminhar para Goiás recursos federais do FGTS de mais de R$ 1 bilhão para a área de moradia. Segundo ele, Goiás tem capacidade de aplicar os recursos, boas construtoras, uma parceria sólida com o Estado e contrapartida. “Nós precisamos e vamos fazer muito mais unidades habitacionais com o orçamento que for alocado”, frisou.
Ao discursar, o presidente da Agehab contou de seu orgulho em trabalhar para ajudar a realizar o sonho da casa própria para famílias que precisam. “Morei na roça, em casa de pau a pique e até pouco tempo pagava aluguel. Sei a importância da dignidade da moradia própria”, disse Lucas Fernandes, salientando que o governador Ronaldo Caiado toca obras com celeridade e cobra muito empenho da equipe para atender aos pequenos municípios. “Junto com a casa, o Estado entrega dignidade, paz, tranquilidade e dá um teto seguro para a proteção das famílias”, afirmou, complementando que em Santo Antônio a Agehab está ajudando a construir o Conselho Tutelar para garantir mais proteção para crianças e adolescentes.

O prefeito de Santo Antônio de Goiás, Frederico Marques, falou sobre a importância da parceria com o Governo de Goiás e a União para levar moradias para as famílias. Segundo ele, as famílias foram beneficiadas com condições para aquisição do imóvel, com prestações de baixo valor e sem precisar dar entrada do financiamento.
Os R$ 15 mil da contrapartida do Governo de Goiás, por meio da Agehab, viabilizou o empreendimento e facilitou a vida das famílias como a de Donizete Carneiro. Ele não precisou dar entrada e vai pagar prestação de 350,00, saindo de um aluguel de R$ 450,00. “Com o dinheiro que vamos economizar pretendo comprar material para fazer o muro da frente. A casa já veio murada no fundo. Eu mesmo vou construir”, contou, entusiasmado. A esposa Poliana disse que sonha agora com uma vida melhor e mais tranquila, e que adorou tudo, principalmente a cozinha e o banheiro. A casa, de 41 metros quadrados, com dois quartos, sala, cozinha, banheiro e área de serviço, é lajotada, com cerâmica e portas e janelas bem reforçadas. “O bairro também é muito bom, asfaltado. Aqui tem de tudo. Escola, posto de saúde, comércio, praça com parquinho. As crianças vão viver muito bem aqui”, acrescentou Poliana.

Aos 57 anos, a doméstica Nilda Rosa de Jesus, que também recebeu as chaves da sua residência das mãos do governador, chorou ao entrar na casa e falar da realização desse sonho de uma vida. “Nunca tive oportunidade de falar. Minha vida sempre foi trabalhar. Mas agora, finalmente consegui ter minha casa. Foi uma luta difícil. Pago R$ 500,00 de aluguel, que é muito para a minha renda de R$ 1,2 mil. Vou pagar uma prestação de R$ 358,00. Isso é um sonho. Agradeço demais todos que me ajudaram”, comemorou Nilda, que vai morar na casa nova com o companheiro, a filha Vanessa e os netos Pedro Hernan e Lívia.
Foram investidos pela Agehab, em parceria com a Caixa, para a construção da primeira etapa do Residencial Santo Antônio mais de R$ 1,9 milhão. A contrapartida estadual foi de R$ 315 mil, o que ajudou as famílias a bancarem o valor da entrada do financiamento. 
Córrego do Ouro 

Na sequência, o governador e o presidente da Agehab foram para Córrego do Ouro, na Região Oeste do Estado, onde entregaram mais 50 moradias, distribuídas em dois residenciais: Luiz Humberto IV, com 29 unidades, e Luiz Humberto III, com 21 unidades. O Estado destinou R$ 1 milhão para a construção das casas em parceria com o Município, que investiu R$ 707 mil para complementar o empreendimento. Na entrega das 71 casas nos dois municípios foram investidos mais de R$ 3,6 milhões.
A pensionista Maria Eterna de Jesus, de 65 anos, passou a noite em claro. Ela não conseguiu dormir de tanta ansiedade para receber a primeira casa própria de sua vida no Residencial Luiz Humberto. "Não dormi de noite com medo de perder a hora. Esperei minha vida toda por esse dia. Aluguel é ruim demais. É um dinheiro que faz falta para comprar o que comer", revelou dona Maria. Agora ela terá tranquilidade para cuidar dos netos.  

Para a autônoma Geni Kelle, 37 anos, a casa é um presente de Deus. “É um alívio sair do aluguel depois de 10 anos, desde que me casei. Agora quero investir na melhoria da casa, dos negócios e bons estudos para minhas filhas. O aluguel atrapalha o crescimento da gente”, revelou a mãe das meninas Luiza Vitória, 6 anos, e Maria Eduarda, 2. 
A técnica de enfermagem Neuza Rodrigues Cardoso Oliveira, de 38 anos, mora na fazenda onde trabalha o marido Márcio José de Oliveira, 42 anos. Ela sempre desejou ter uma casa na cidade, onde os filhos pudessem ter melhor acesso à educação. Com a mudança, o menino Gabriel, de 9 anos, ficará bem mais perto da escola, podendo até mesmo ir de bicicleta e não mais no ônibus escolar. Segundo ela, a localização do bairro é boa, pertinho de tudo, logo na entrada de Córrego do Ouro. O residencial conta com toda a infraestrutura, como rede de água e energia elétrica, iluminação pública e ruas pavimentadas

Governo na palma da mão

Pular para o conteúdo