Organizações sociais recebem certificados de credenciamento da Agehab

“As entidades serão atendidas com transparência e agilidade”, afirmou o presidente da Agência Goiana de Habitação (Agehab), Eurípedes do Carmo, durante a entrega dos certificados de credenciamento a 91 Organizações da Sociedade Civil (OSC’s) habilitadas para parcerias habitacionais com o Governo de Goiás. Segundo ele, o objetivo da certificação é desburocratizar o processo de liberação de recursos. “A documentação está toda aprovada. Vocês só precisam se preocupar agora com a apresentação dos projetos que atendam suas necessidades”, disse Eurípedes do Carmo, nesta sexta-feira (13/12).

As entidades habilitadas têm prazo de dois anos para pleitear recursos do programa habitacional do Estado para construção, reforma ou ampliação de moradias ou equipamentos comunitários. A irmã Ana Bet, da Associação Beneditina Divina Providência, de Aragarças, estava emocionada. Ela contou que começou uma reforma no abrigo que atende 72 idosos no município em 2013 e até hoje não conseguiu terminar. “Eu acredito que a obra agora termina, graças a esses recursos”, frisou.

A equipe da Gerência de Projetos e Análise Técnica (Geprotec) da Agehab orientou os representantes das OSC’s sobre os próximos passos para pleitear recursos e encaminhar as demandas. A Agehab vai publicar no site em janeiro um chamamento público para que todas as entidades habilitadas apresentem seus pedidos. O presidente da Agehab lembrou que a seleção das OSC´s foi aberta a todas interessadas do Estado, por meio do edital 001/2019.  Dos 91 certificados de credenciamento, 79 são habilitados na modalidade Equipamento Comunitário (Construção, Reforma e Ampliação) e 12 na modalidade Reforma/Ampliação de Unidades Habitacionais.

A diretora de Políticas Agrícolas da Federação dos Trabalhadores da Agricultura (Fetaeg), Sueli Pereira, vai pleitear recursos para reforma e construção de moradias em agricultura familiar. Segundo ela, somente assentados da reforma agrária, são 14 mil atendidos pela Federação. A maioria não tem moradia construída ou vive em habitação precária, sem reboco, ou de palha e lona. “A necessidade é muito grande e a ajuda da Agehab será importante para melhoria da qualidade de vida das famílias do campo”, salientou.

A presidente da Associação dos Deficientes Físicos (Adfego), Maria Clara Carvalho, contou que a certificação aumenta a esperança de melhorar as condições da sede da Associação. Segundo ela, são atendidos no local mais de 7 mil pessoas, a maioria com graves dificuldades de locomoção. Por isso, a manutenção da estrutura deve ser constante para atender com dignidade os deficientes físicos. 

 

Governo na palma da mão

Pular para o conteúdo