Assessores de Comunicação de FAPs ganham espaço no Fórum Confap

Participaram da reunião Adriana Freitas, da Fapitec (SE); Renan Rigo e Núbia Rodrigues, da Fapeg; Vanessa Teles, da Fapesb; Maristela Sena, da Fapema; Vilma Naísia Xavier, da Fapeal; Katia Bianca Iglesias, Bruno Araujo Correia e André Martins, da Fundect; e Jéssica Trombini e Heloisa Dallanhol, ambas da comunicação do Confap e da Fapesc.
Participaram da reunião Adriana Freitas, da Fapitec (SE); Renan Rigo e Núbia Rodrigues, da Fapeg; Vanessa Teles, da Fapesb; Maristela Sena, da Fapema; Vilma Naísia Xavier, da Fapeal; Katia Bianca Iglesias, Bruno Araujo Correia e André Martins, da Fundect; e Jéssica Trombini e Heloisa Dallanhol, ambas da comunicação do Confap e da Fapesc.

As conclusões da Reunião dos Assessores de Comunicação de FAPs foram apresentadas como primeiro item da pauta do Fórum Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), encerrado nesta quarta-feira (9), em Campo Grande. Vários presidentes reconheceram o papel estratégico da divulgação e, principalmente, do jornalismo científico para dar visibilidade a oportunidades e resultados de pesquisa.

A crescente importância da comunicação nas relações internacionais do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) foi abordada pela coordenadora de Comunicação da instituição, Heloisa Dallanhol. Para abordar o caso específico do Fundo Newton, foi convidada a falar Camila Almeida, do Conselho Britânico – um dos parceiros do Confap para lançamento e avaliação de chamadas conjuntas.

A jornalista Jéssica Trombini explicou como se dá o aproveitamento de notícias do Confap e das FAPs nas esferas nacional e estadual, incluindo publicações do porte do Jornal da Ciência e da Agência CT&I, entre outras questões operacionais.

“Os meios de divulgação usados pelas FAPs: desafios e perspectivas” foram tema do segundo bloco da reunião, conduzida em 8 de novembro. Bruno Araujo Corrêa, Kátia Bianca Iglesias Rocha Motta e André Henrique Martins da Silva, deram detalhes sobre o programa Mídia Ciência da Fundect, considerado um case de sucesso que pode ser adaptado por outras FAPs e hoje envolve oito bolsistas. “Conforme a equipe cresce, aumenta o trabalho e a cobrança. Mas quem não tem nenhum publicitário, não consegue fazer quase nada,” conclui Bianca, que coordena o programa. O Midia Ciência serviu de modelo para a Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul e pode ser modelo também para a Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, que agora tem como reitor, Marcelo Turine, ex-presidente da Fundect, anfitriã do evento.

Maristela Sena dos Santos, coordenadora do Núcleo de Difusão Científica da Fapema, falou sobre a comunicação como instrumento de transparência institucional, numa apresentação rica em exemplos e experiências exitosas. O debate final foi mediado por Núbia Rodrigues e Renan Rigo, ambos da Fapeg, e teve participação de Adriana Freitas (Fapitec/SE), Vilma Naísia Xavier (Fapeal), e de outros assessores presentes.

Fonte: Coordenadoria de Comunicação Social do Confap.

Governo na palma da mão

Pular para o conteúdo