Brasil assina acordo de parceria com o Centro Europeu de Investigação (ERC)

Elison Matioli, Sergio Luiz Gargioni, Carlos Moedas, Klaus Bock, durante solenidade de assinatura do Acordo de Cooperação. Foto: Jennifer Jacquemart / EC – Audiovisual Service.

A União Europeia e o Brasil lançaram no dia 13 de outubro, em Bruxelas, uma iniciativa que visa promover a colaboração internacional entre os melhores pesquisadores brasileiros e investigadores financiados pelo Conselho Europeu de Investigação (CEI) – European Research Council (ERC, da sigla em inglês).

O comissário responsável pela Pesquisa, Ciência e Inovação, Carlos Moedas, e o presidente do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), Sergio Luiz Gargioni, assinaram o acordo, que pretende incentivar jovens cientistas brasileiros a integrar equipes de pesquisa financiadas pelo CEI, que efetuam pesquisas de ponta em toda a Europa. O acordo foi assinado pelo Confap, no conjunto de suas fundações, que inclui a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg).

Na cerimônia de assinatura, o comissário Carlos Moedas afirmou: “O acordo hoje assinado constitui uma boa notícia para a cooperação científica em escala mundial, na linha da nossa estratégia de ‘Abertura ao Mundo’. A ciência de ponta é, por natureza, internacional e esta iniciativa irá encorajar ainda mais esta mentalidade. Jovens talentos brasileiros poderão unir forças com bolsistas do Conselho Europeu de Pesquisa, espalhados por toda a Europa, o que lhes permitirá levar mais longe o seu trabalho de pesquisa e ganhar experiência internacional”.

O Professor Klaus Bock saudou igualmente a iniciativa: “Estamos muito satisfeitos com este novo acordo, que se soma às várias iniciativas internacionais que nos últimos anos foram lançadas pelo CEI com entidades homólogas à volta do globo. É claro, para o CEI, que talentos científicos precisam interagir e cooperar estreitamente. O intercâmbio científico em pesquisa de ponta é extremamente valioso e pode conduzir a mais avanços científicos, sendo, por isso, benéfico para todos”.

A presidente da Fapeg, Maria Zaira Turchi, que também é vice-presidente do Confap, acrescenta que o fato de o Confap representar o Brasil nesta cooperação junto ao CEI fortalece as Fundações e as pesquisas desenvolvidas no estados. “O Confap, no conjunto de suas Fundações, ao assinar este acordo de cooperação cria oportunidades de colaboração internacional mútua entre equipes de pesquisadores brasileiros e europeus, altamente qualificados,  e estimula esses jovens pesquisadores a avançarem e desenvolverem ainda mais o seu potencial”.

Contexto
O acordo (chamado Acordo de Implementação) visa executar a estratégia ‘CEI — Aberto ao Mundo’. O CEI concede bolsas a investigadores de todas as nacionalidades, desde que desenvolvam a sua atividade de pesquisa nos países do Espaço Europeu da Investigação (EEI), que engloba os Estados-Membros da União Europeia e os países associados ao programa-quadro de pesquisa. É importante sensibilizar investigadores não europeus para essas oportunidades de financiamento e facilitar a sua integração num projeto financiado pelo CEI. Portanto, o acordo assinado visa permitir que pesquisadores de alto nível de nacionalidade brasileira possam levar a cabo visitas de investigação e cooperar com equipes financiadas pelo CEI, no Espaço Europeu da Investigação. É igualmente um contributo para a criação do “Espaço Comum de Investigação” entre a União Europeia e o CELAC, cujo primeiro pilar se refere à mobilidade de investigadores.

A primeira iniciativa deste gênero foi assinada em julho de 2012 com os Estados Unidos (Fundação Nacional de Ciência – NSF) para possibilitar que pesquisadores do NSF integrassem equipas financiadas pelo CEI. Seguiram-se acordos similares com a Coreia do Sul (Fundação Nacional de Investigação da Coreia – NRF), em novembro de 2013; com a Argentina (Conselho Nacional de Investigação Científica e Técnica – CONICET), em março de 2015; com o Japão (Sociedade Japonesa para a Promoção da Ciência – JSPS). em maio de 2015; com a China (Fundação Nacional das Ciências Naturais da China – NSFC), em junho de 2015; com a África do Sul (Fundação Nacional de Investigação, NRF), em outubro de 2015; e com o México (Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia do México- CONACYT), em novembro de 2015.

Fonte: Site da Delegação da União Europeia no Brasil, com acréscimos da Ascom da Fapeg.

Governo na palma da mão

Pular para o conteúdo