Comitiva de paleontólogos do Brasil e da Escócia visita Fapeg e apresenta pesquisa realizada em Goiás

Equipe de paleontólogos do Brasil e da Escócia visita presidente da Fapeg. Foto: Núbia Rodrigues / Ascom Fapeg.

Uma comitiva formada por pesquisadores em Paleontologia da Universidade de Edimburgo, na Escócia, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e da Universidade Federal de Goiás (UFG) visitou a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg), na última sexta-feira, dia 08 de julho. O grupo, composto pelos professores Carlos Roberto Candeiro (UFG) e Stephen Louis Brusatte (Universidade de Edimburgo) e pelos alunos André Luís de Souza e Paulo Pereira, foi recebido pela presidente da Fundação, Maria Zaira Turchi.

A vinda do pesquisador Stephen Louis Brusatte, da School of GeoSciences, da Universidade de Edimburgo, faz parte do projeto aprovado no âmbito do Fundo Newton, por meio da parceria entre o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), ao qual a Fapeg está vinculada junto a outras FAPs, e as Academias Britânicas (UK Academies). O projeto “Dinosaurs and other fossil vertebrates from the Bauru Group of southern Goiás State, Central Brazil” busca estudar os fósseis de dinossauros localizados na região Sul do Estado, especialmente na área de Rio Verde e Quirinópolis.

Para o pesquisador escocês, a vinda ao Brasil propiciou um novo olhar sobre os estudos em Paleontologia no Hemisfério Sul. Segundo ele, trata-se de uma importante peça no quebra-cabeça dos estudos paleontológicos no mundo. “As pessoas não sabiam da existência de dinossauros nessa região do Brasil até uns 15 anos atrás. E agora temos um grupo bastante ativo, formado por jovens pesquisadores apaixonados por essas descobertas e isso é muito bom. Estamos formando a próxima geração de cientistas aqui”, avalia.

Para a presidente da Fapeg, Maria Zaira Turchi, a vinda de pesquisadores como o professor Brusatte colabora na perspectiva das parcerias desenvolvidas por pesquisadores das instituições goianas com outras instituições importantes na pesquisa mundial. “A presença do professor Brusatte e suas contribuições às pesquisas realizadas em Goiás consolidam uma parceria com grandes possibilidades a longo prazo. E temos novos editais previstos do Researcher Links, do Conselho Britânico, neste ano, que podem contribuir ainda mais para dar sequência a esse intercâmbio de pesquisadores”, salienta.

A ideia dessa pesquisa específica, segundo os pesquisadores, é fazer um paralelo entre os fósseis encontrados no Brasil, denominado Grupo Bauru, com os fósseis já estudados no Hemisfério Norte e comparar as informações desses materiais, sobretudo nas diferenças e similaridades antes do período de extinção. Com a visita do professor Brusatte, os paleontólogos também estão realizando novas expedições à região Sul do Estado, para a coleta de novas peças, e devem trabalhar ainda sobre o material recolhido nos próximos dias.

Assessoria de Comunicação Social da Fapeg

Governo na palma da mão

Pular para o conteúdo