Comunidade acadêmica pode contribuir na melhoria das políticas públicas estaduais

Governo com Ciência Sedi/FapegA comunidade científica e acadêmica de Goiás tem a oportunidade de contribuir com o governo e sociedade, dando respostas a problemas concretos que terão reflexo nas políticas públicas estaduais. Em encontro virtual realizado na manhã desta quarta-feira (21), a Secretaria de Desenvolvimento e Inovação (Sedi) apresentou a pesquisadores e instituições de ensino um levantamento de demandas que estão na pauta dos órgãos estaduais em busca de soluções.

“A nossa proposta é conectar as áreas de pesquisas das universidades com o governo, com ganhos para a população e para a comunidade científica, que tem a oportunidade de colocar seus conhecimentos em projetos reais e exequíveis, além de contribuir com a sociedade”, explica o secretário Marcio Cesar Pereira, ao falar sobre o Programa Governo com Ciência.

Para dar suporte à iniciativa, a Fundação de Amparo à Pesquisa (Fapeg) está com o edital nº 3/2020 – Programa Governo com Ciência aberto, para financiar as atividades de desenvolvimento de pesquisa e elaboração dos projetos. O presidente da Fapeg, Robson Vieira, destacou que o levantamento realizado pela Sedi mostrou que existe uma demanda reprimida por bons projetos e soluções. “Algumas demandas extrapolam as fronteiras do Estado”, avaliou. Ele explicou ainda que a ideia do edital surgiu como estratégia para aproximar a comunidade científica do governo. “O edital é dinâmico, com fluxo contínuo, vai se ajustando”.

Mais de 60 pessoas, entre pesquisadores, mestrandos, doutorandos e representantes das áreas de pesquisa de instituições de ensino das universidades Federal (UFG) e Estadual de Goiás (UEG), Instituto Federal Goiano (IFG) e Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC) participaram do evento online. Na ocasião, a gerente de Pesquisa, Projetos e Difusão de Tecnologia Avançada, Náiade Souza Di Rocha, apresentou 18 propostas de demandas de órgãos estaduais, já levantadas pela Secretaria de Desenvolvimento e Inovação junto às pastas. Segundo ela, outras ainda estão sendo catalogadas.

O reitor da UEG, Valter Campos, se mostrou estimulado com as possibilidades do envolvimento da comunidade acadêmica no desenvolvimento dos projetos. “Vamos vendo as demandas e pensando em como participar. Precisamos levar essas apresentações para os nossos pesquisadores. A universidade tem essa necessidade, de dar respostas para a sociedade e ao governo”, ressaltou.

A professora Helena Carasek, orientadora de mestrado e doutorado do Programa de Pós-Graduação em Geotecnia, Estruturas e Construção Civil da UFG, ficou impactada com as propostas apresentadas e com o edital da Fapeg. “Estou impressionada com o levantamento realizado. Achei muito pertinente o edital. A UFG tem pesquisadores e competência para atender estas demandas. Já tenho até uma ideia aqui para compartilhar com o secretário Marcio”, disse.

O Edital

O Programa Governo com Ciência poderá, por meio da Fapeg, financiar até R$ 200 mil por projeto. O detalhamento do edital foi apresentado pelo diretor-científico da Fapeg, Marcos Arriel, que ressaltou alguns pontos para os participantes. Exemplo é que o projeto deverá ser construído em conjunto pela instituição de pesquisa proponente e pela instituição pública. “Não só na elaboração, mas na execução e implementação efetiva dos resultados”, frisou.

Marcos Arriel também disse que muitos procuram a Fapeg querendo dicas para a elaboração dos projetos/propostas. Segundo ele, a dica é: “com uma boa leitura do edital é possível que se realize um bom projeto de pesquisa”. Além disso, outro ponto destacado por ele, foi que o projeto tem de gerar resultados. “Mesmo que não esteja contemplado no edital, o projeto pode contribuir para o processo de monitoramento dos resultados”, indicou.

O edital está disponível no site da Fapeg (https://siteshom.goias.gov.br/fapeg/chamada-publica-03-2020-programa-governo-com-ciencia/)

Fonte:  Secretaria de Desenvolvimento e Inovação (Sedi)

Governo na palma da mão

Pular para o conteúdo