Fapeg participa da abertura do II Congresso de Ciência e Tecnologia da PUC Goiás

Abertura do Congresso de Ciência e Tecnologia da PUC Goiás. Foto: Weslley Cruz.

A segunda edição do Congresso de Ciência e Tecnologia da PUC Goiás apresenta uma novidade neste ano: ocorre em todas as áreas da universidade, com atividades simultâneas em todos os cursos, englobando 19 eventos científicos. Maior em abrangência, o evento mobiliza até o dia 21 de outubro, cerca de 579 professores e 28 funcionários na organização, resultando em uma parceria entre as pró-reitorias de Pesquisa, Graduação e Extensão. Essas novidades foram anunciadas pela pró-reitora de Pós-Graduação e Pesquisa, profa. Milca Severino, durante a solenidade de abertura do Congresso, na manhã desta quarta-feira, 19, que lotou o Teatro PUC, com a participação de diversas autoridades, professores, funcionários e corpo discente.

O Congresso é realizado em consonância com a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), que é uma iniciativa do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação, envolvendo 1780 instituições em âmbito federal neste mês de outubro, com a temática “Ciência alimentando o Brasil”. Para abordar o assunto, a abertura do evento na PUC Goiás contou com a participação da pró-reitora de Pesquisa da Unicamp, profa. Gláucia Maria, que trouxe uma abordagem sobre a nova visão da indústria de alimentos, tendo em vista a biodiversidade das diversas regiões brasileiras, com ênfase no Cerrado.

“Grande parte do País não conhece as potencialidades desta região e a alimentação é um verdadeiro combustível, pois é responsável, em sua grande parte, pelo enfrentamento de doenças”, explanou. Em geral os países consomem grande parte dos recursos financeiros nos sistemas de saúde, todavia é com base na alimentação que é possível a redução desses custos: “com a alimentação mais adequada, as pessoas conseguem sobreviver a ataques virais, doenças contagiosas e, principalmente, às doenças degenerativas que são o grande problema de hoje”, pontuou.

Presidente da Fapeg, Zaira Turchi, durante abertura do Congresso da PUC Goiás. Foto: Weslley Cruz.

Presente também na solenidade de abertura, a presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg), Maria Zaira Turchi, enfatizou a questão da aproximação da ciência com a sociedade, a exemplo dos eventos que fazem parte da SNCT, como o Congresso da PUC. “Estes eventos, além de exporem o que tem sido feito pelas instituições de ensino e pesquisa, potencializam a aproximação da ciência com a população. E a Fapeg vem realizando desde 2012 editais de fluxo contínuo para a realização e a participação de cientistas de Goiás em eventos, como forma de mostrar a relevância do que é feito pelas instituições de pesquisa para enfrentar os desafios da sociedade”, ressaltou. No mês de outubro, por exemplo, destacou que todos os eventos relacionados à SNCT que apresentaram propostas à Fundação foram fomentados pela Fapeg, como o próprio Congresso da PUC Goiás.

Além das dezenas de eventos, o Congresso na PUC Goiás registra 414 trabalhos de iniciação científica, 344 trabalhos de conclusão de curso, 207 pesquisas da stricto sensu (mestrados e doutorados), 100 da lato sensu (especializações), 22 ligas acadêmicas concorrendo a prêmios científicos e 342 trabalhos no Fórum de Pesquisa. “O Congresso discute um tema muito importante, porque podemos analisá-lo sob vários ângulos, tanto no seu significado mais genuíno, como no sentido de sustentar o País com a pesquisa, a ciência, o desenvolvimento tecnológico e as inovações”, declarou a pró-reitora de Pesquisa da PUC Goiás, Milca Severino.

Ainda de acordo com a presidente do evento, o Congresso traz conferências, palestras, simpósios e, por abordar diversas assuntos além da temática central, atende aos interesses e demandas da comunidade universitária. Um dos marcos é realização do Simpósio Internacional de Cobras Corais, que trouxe à Goiânia, as maiores autoridades no assunto, mobilizando, apenas neste evento, mais de 300 participantes.

Reitor da instituição, o prof. Wolmir Amado destacou sobre o avanço da Ciência e sua ressignificação para o estado de Goiás e para as instituições que atuam com a pesquisa e inovação, incentivando a formação de novos cientistas e, consequentemente, novos conhecimentos. “O Congresso dá visibilidade e potencializa a ciência, a tecnologia, a pesquisa e a formação do pesquisador no estado de Goiás, sua colaboração com o País e, por extensão, com toda humanidade. São desafios da vida que vão surgindo e é preciso responder de forma intelectual, com empenho e investigação, às demandas atuais”, declarou o reitor, que decretou, oficialmente aberta, a segunda edição do Congresso de Ciência e Tecnologia na PUC Goiás.

Confira aqui a programação completa e todas as novidades do II Congresso de Ciência e Tecnologia.

Fonte: PUC Notícias, com acréscimos da Ascom Fapeg.

Governo na palma da mão

Pular para o conteúdo