Fapeg participa de Road Show em Washington para valorização da pesquisa voltada à produção de alimentos

A presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg), Maria Zaira Turchi, participa nestas segunda e terça-feiras, dias 16 e 17 de maio, do Road Show “O desafio global: mais alimentos, mais sustentabilidade”, em Washington, nos Estados Unidos. A comitiva viaja a convite do Instituto Fórum do Futuro e busca debater o desafio e a responsabilidade de responder à crescente demanda mundial por alimentos para as próximas décadas, considerando princípios de sustentabilidade.

Compõe a missão um grupo formado por cientistas, lideranças empresariais, personalidades do mundo acadêmico e representantes da agricultura avançada de países do Cone Sul. Nesta segunda-feira, 16, a comitiva estará reunida na sede do Banco Mundial, onde haverá o lançamento do Prêmio Novos Talentos para o Alimento Sustentável. A premiação é realizada em parceria com o Banco Mundial, o Instituto Interamericano para Cooperação Agrícola (IICA), a Embrapa, a Fapemig, a Fapeg e as Universidades Federais de Lavras, Viçosa e Esalq. O objetivo do Prêmio é despertar a atenção dos jovens pesquisadores de todas as áreas do conhecimento para os desafios da agricultura sustentável – produzir mais com uso otimizado de recursos escassos.

Na terça-feira, 17, os membros da missão visitarão a John Hopkins University, também sediada em Washington, onde se encontrarão com cientistas e gestores governamentais convidados no Center for Strategic and International Studies (CSIS). Será debatido o tema “Uso da Terra, Ampliação da Sustentabilidade e Água”.

Parcerias entre países
A FAO aponta que até 2050 o Brasil terá que aumentar a produção de alimentos de forma a contribuir para atender a, pelo menos, 40% da demanda adicional, que cresce em decorrência do aumento da população e da expectativa de vida e da inclusão de novas parcelas da população pelo aumento da renda e migração de contingentes rurais para áreas urbanas.

O papel do Fórum do Futuro é demonstrar que é econômico e cientificamente possível alcançar esses objetivos sem recorrer ao desmatamento ilegal. A mensagem que esses cientistas levarão para o Banco Mundial, a FAO e as instituições que participam da Agenda de Washington é que o Brasil está pronto para compartilhar o conhecimento que já conquistou e que pode ser colocado a serviço de áreas vitais semelhantes ao Cerrado, na produção de alimentos harmonizando a questão da natureza, sustentabilidade e aumento da produtividade.

A ciência brasileira, representada por esse grupo de cientistas, deseja promover uma aliança com os pesquisadores americanos, da Europa, e, em seguida, da Ásia na construção de diagnósticos e na proposição de soluções que atendam aos anseios e preocupações da humanidade por parâmetros sustentáveis de produção.

Contribuição de Goiás
Goiás decidiu dar a sua contribuição ao desafio que vem sendo enfrentado por grande parte dos cientistas e pesquisadores, na busca por ideias inovadoras de estímulo à produção agropecuária de forma sustentável e com baixa emissão de carbono. Em parceria com o Fórum do Futuro – propostas para o desenvolvimento sustentável – a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás prepara o lançamento da segunda edição nacional do Prêmio Novos Talentos Brasil.

“A ciência no Brasil já tem uma história, mas precisa ir além, com mais investimentos em pesquisa e inovação para enfrentar o desafio da produção agropecuária sustentável com estímulo ao empreendedorismo”, afirmou a presidente da Fapeg, Zaira Turchi. Ela acrescenta, ainda, a necessidade urgente de uma união forte entre a sociedade e a pesquisa, de forma a aproximar os resultados e avanços produzidos pela ciência da gestão pública e privada.

O Prêmio Novos Talentos deste ano foi dividido em duas categorias: Prêmio Pecuária de Baixo Carbono e Prêmio Agregação de Valor na Cadeia do Alimento – Indústria, Comércio e Serviços. A expectativa dos organizadores é que o concurso atraia inscrições de trabalhos acadêmicos com tecnologia de ponta que possam potencializar o desenvolvimento científico, social, econômico e ambiental do Centro-Oeste. Os cientistas finalistas dividirão um prêmio no valor de R$50 mil.

“O Prêmio, em parceria com o Fórum do Futuro, foi criado para provocar, estimular os novos cérebros a apresentarem soluções práticas e inovadoras, que cumpram o desafio de produzir alimento de qualidade com sustentabilidade em toda a cadeia de produção do grão e não apenas na fazenda”, disse o médico veterinário e diretor Científico da Fapeg, Albenones José de Mesquita.

Para Zaira Turchi, uma das razões que motivou a participação da Fundação no Prêmio Novos Talentos Brasil se deve à existência na região de pesquisadores de ponta e a posição estratégica do Estado de Goiás como o maior produtor de alimentos do país, além da responsabilidade pelo estímulo à produção com a preservação de floresta nativa.

O tema central do Prêmio Novos Talentos Brasil deste ano, Alimento Sustentável de Baixo Carbono, foi definido durante as comemorações do Centenário da Academia Brasileira de Ciência (ABC) em abril, e inspirado na Carta de Goiânia, documento subscrito por diversas instituições de pesquisa que sintetiza o papel do Centro-Oeste e da ciência aplicada na produção de alimento, além dos principais desafios do setor agropecuário da região.

Assessoria de Comunicação Social da Fapeg, com informações do Fórum do Futuro.

Governo na palma da mão

Pular para o conteúdo