[caixa_de_pesquisa]

Presidente da Fapeg discute oportunidades de pesquisa oceânica, durante evento em Portugal

Parte da delegação brasileira no evento. Foto: Divulgação.

A convite da Comissão Europeia para Pesquisa, Ciência e Inovação, a presidente do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg), Maria Zaira Turchi, e o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc), Sergio Gargioni, participam nesta semana, entre os dias 12 e 14 de julho, do evento “A New Era of the Blue Enlightenment”, em Lisboa, Portugal. O evento marca o lançamento da Declaração de Belém, para integrar atividades de pesquisas entre os países que compartilham as águas do Oceano Atlântico, e reúne autoridades da União Europeia, do Brasil e da África do Sul que assinam o acordo, além de representantes de governos, entidades e instituições de pesquisa e inovação dos países que compõem a área.

Na quarta-feira, dia 12, Maria Zaira Turchi e Sergio Gargioni participaram, dentro da programação do evento, das atividades do consórcio internacional Incobra (Increasing International STI Cooperation between Brazil and the European Union), projeto financiado pelo Programa Horizonte 2020 da Comissão Europeia. Acompanhados da assessora internacional do Confap, Elisa Natola, eles participaram da Sessão “Incobra: EU-Brazil Cooperation, Building an Atlantic Community: Projects and Ideas Meeting Place”, no qual foram apresentados os caminhos para o fomento de pesquisas pelas FAPs, dentro do escopo da cooperação estabelecida no Programa Horizonte 2020.

O Confap participa da programação como um dos principais parceiros da União Europeia para a implementação de ações conjuntas entre o Brasil e o bloco. Ainda dentro da programação científica do evento, os representantes do Confap devem se encontrar com representantes dos países que fazem parte da área banhada pelo Oceano Atlântico para discutir possibilidades de estender o fomento das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (FAPs) para as atividades de cooperação previstas em pesquisas científicas, tecnológicas e de inovação, relacionadas à área, dentro do escopo definido pela Declaração de Belém.

Fonte: Coordenadoria de Comunicação Social do Confap.

Governo na palma da mão

Pular para o conteúdo