Presidente do CNPq participa de entrega de fomentos e de lançamento de editais em Goiás

Governo de Goiás, por meio da Fapeg, e CNPq realizam evento de entrega de fomentos e lançamento de editais. Foto: Núbia Rodrigues/ Ascom Fapeg

O governo de Goiás, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa de Goiás (Fapeg), e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) realizaram evento de entrega de fomentos e lançamento de editais na última sexta-feira (9), em Goiânia. Participaram da solenidade o presidente do CNPq, Mario Neto Borges, que na oportunidade representou o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação, Gilberto Kassab, o governador de Goiás, Marconi Perillo, e a presidente da Fapeg, Maria Zaira Turchi. Durante o evento foram entregues fomentos a pesquisadores com projetos aprovados no Programa de Infraestrutura para Jovens Pesquisadores (Programa Primeiros Projetos – PPP), lançadas chamadas públicas no âmbito do Programa de Apoio a Núcleos de Excelência (Pronex) e do Programa de Apoio a Núcleos Emergentes (Pronem) e anunciado um novo edital do Programa Pesquisa para o SUS: Gestão Compartilhada em Saúde (PPSUS).

Os fomentos entregues são da ordem de R$ 1,7 milhão, sendo 2/3 de recursos federais do CNPq e 1/3 de recursos estaduais da vinculação da Fapeg, e os investimentos previstos superam os R$ 8,3 milhão. Todos os programas são decorrentes da parceria entre Fapeg e CNPq. Também foi assinado termo de compromisso do governo de Goiás, por intermédio da Fapeg, e o CNPq, com o objetivo fomentar dois Institutos Nacionais de Ciência, Tecnologia e Inovação (INCTs) aprovados na chamada pública 16/2014. Os dois Institutos são os primeiros INCTs com coordenação em Goiás. “Esses INCTs coordenados por pesquisadores que atuam em Goiás entram agora no mapa do programa mais importante do Brasil. É de tanta relevância que se tornou um programa prioritário da presidência da República”, ressaltou o presidente do CNPq.

Presidente do CNPq, Mario Neto Borges, discursa em evento. Foto: Núbia Rodrigues/ Ascom Fapeg

De acordo com Mario Neto Borges, inovar é um dos grandes desafios do CNPq e, para ele, “é um prazer inaugurar essa rodada nacional de visitas aos estados aqui em Goiás, um estado que está incentivando a Ciência, Tecnologia e Inovação”.  Ele, que assumiu a presidência do CNPq há pouco mais de um mês, afirma que uma das bandeiras prioritárias de sua gestão à frente do Conselho é manter e aumentar ainda mais as parcerias com as Faps, sobretudo neste momento de crise em que o país precisa de CT&I fortes. “Desde o mês passado já conseguimos pagar mais de R$ 69 milhões de compromissos firmados, além disso, o ministro Kassab já conseguiu, do recurso da repatriação, R$ 1,5 bilhão para a ciência e inovação”, ressaltou.

Para Zaira Turchi, a presença do presidente do CNPq no evento confirma a relevância dos programas lançados e também a importância da parceria com o CNPq, que têm contribuído fortemente para o avanço das pesquisas em Goiás. “ O professor Mario Neto tem um perfil dinâmico e empreendedor e já assumiu o Conselho com muita disposição. O resultado já pode ser visto, em pouco mais de um mês estamos aqui celebrando essas oportunidades com a comunidade científica”, ressaltou.

Em sua fala, o governador de Goiás, Marconi Perillo, ressaltou que os estados também receberão uma parte da repatriação e que ele já determinou à Secretaria da Fazenda que todos os recursos devidos devem ser destinados às vinculações constitucionais, como é o caso da Fapeg. Para ele, investir em programas e projetos como os que estavam sendo lançados é investir na inteligência goiana e deixar para o futuro um legado de compromisso com a CT&I. “E o apoio do CNPq e do MCTIC tem sido fundamentais para o desenvolvimento da ciência em Goiás”, salientou.

Também estavam presentes no evento inúmeras autoridades, entre elas os reitores da Universidade Federal de Goiás e Universidade Estadual de Goiás, Orlando Amaral e Haroldo Reimer, respectivamente, pró-reitores e diretores de Universidades e Institutos goianos, e os diretores Científico, Técnico e de Planejamento da Fapeg, Albenones José de Mesquita, Antônio Newton e Sandra Gabriel, respectivamente. Além disso, participaram da solenidade diversos pesquisadores em início de carreira contemplados no PPP e pesquisadores seniors, com vasta experiência e produtividade de pesquisa do CNPq, que são elegíveis para os editais Pronem e Pronex.

Presidente da Fapeg, Zaira Turchi, assina Termo de Compromisso que tem por objetivo fomentar os dois INCTs de Goiás. Foto: Núbia Rodrigues/ Ascom Fapeg

INCTs

O Programa Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia foi criado com o objetivo de mobilizar e apoiar os melhores grupos de pesquisa em áreas de fronteira da ciência em setores estratégicos para o desenvolvimento sustentável do País. É o maior programa brasileiro na área de CT&I e conta com recursos do CNPq, da Capes e das Faps. De acordo com o presidente do CNPq, para que o programa cresça ainda mais, vários Ministérios, como o da Defesa, da Saúde e da Educação, já se dispuseram a participar dos programas. Além disso, já existem empresas privadas interessadas em apoiar, além de parcerias internacionais com o Fundo Newton.

Em Goiás, foram aprovados no edital 16/ 2014 do CNPq, cujo resultado foi publicado no último mês de novembro, o INCT em Ecologia, Evolução e Conservação da Biodiversidade e o INCT de Estratégias de Interação Patógenos-Hospedeiros. Além disso, 74 laboratórios goianos já integram INCTs de todo o país.

Pronem

Poderão se inscrever no edital Pronem pesquisadores que sejam bolsistas de produtividade do CNPq (PQ ou DT), categoria 2, vinculados a Instituições de Pesquisa e Ensino sediadas no Estado de Goiás que se destaquem nas atividades do projeto submetido. Os recursos destinados ao Pronem somam R$ 4,5 milhões, sendo R$ 1,5 milhão da Fapeg e R$ 3 milhões do CNPq. Serão contemplados 30 projetos com valores de até R$ 150 mil.

São considerados Núcleos Emergentes grupos de pesquisa, já estabelecido ou em fase de implantação, com linha de pesquisa comum ou complementar, de reputação técnico científica reconhecida e posição de destaque em sua área de conhecimento. Os núcleos, que devem ter histórico de colaboração, por meio de projetos, publicações e orientações comuns, devem estar organizados para desenvolver projetos de pesquisas científica, tecnológica e de inovação que possam contribuir significativamente para o avanço e a difusão do conhecimento, em área de fronteira da ciência ou da tecnologia.

Diversos pesquisadores que atuam em Goiás participaram do evento realizado na última sexta-feira (9). Foto: Núbia Rodrigues/ Ascom Fapeg

Pronex

Já as inscrições para o Pronex poderão ser feitas por pesquisadores bolsistas de Produtividade em Pesquisa categoria I do CNPq que se apresentem como líderes de Núcleos de Excelência e que tenham vínculo com instituições científicas e tecnológicas também sediadas em Goiás. O edital beneficiará cinco Núcleos de Excelência com R$ 300 mil cada um. O investimento total será de R$ 1,5 milhão, sendo R$ 500 mil da Fapeg e R$ 1 milhão do CNPq.

São considerados Núcleos de Excelência, grupos organizados de pesquisadores e técnicos de alto nível, em permanente interação, com reconhecida competência e tradição em suas áreas de atuação técnico-científica. Os Núcleos devem ser capazes de funcionar como fonte geradora e transformadora de conhecimento cientifico-tecnológico para aplicação em programas e projetos de relevância ao desenvolvimento do país. Também deverão ser caracterizados por uma área ou tema de atuação bem definidos, em área de fronteira da ciência ou da tecnologia.

 PPP

O Programa tem o objetivo de apoiar a aquisição, a instalação, a modernização e a ampliação ou recuperação da infraestrutura de pesquisa científica e tecnológica das Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa do Estado. Visa, também, dar suporte à fixação de jovens pesquisadores e à nucleação de novos grupos de pesquisa, em qualquer área do conhecimento. O valor dos recursos solicitados em cada projeto é de, no máximo, R$ 50 mil. Nesta chamada pública foram contemplados 40 projetos.

PPSUS

O PPSUS foi criado pelo Departamento de Ciência e Tecnologia do Ministério da Saúde (Decit/MS) com o objetivo de financiar pesquisas em temas prioritários para a saúde da população brasileira, bem como contribuir com o aprimoramento do Sistema Único de Saúde. Esta nova chamada pública investirá R$ 2,3 milhões em projetos de pesquisa que promovam a formação e a melhoria da qualidade de atenção à saúde no estado de Goiás no contexto do Sistema Único de Saúde (SUS).

Reitores e pró-reitores participam de entrega de fomentos. Foto: Núbia Rodrigues/ Ascom Fapeg

O programa busca ainda promover o desenvolvimento científico e tecnológico em saúde em todos os estados da federação, segundo um modelo de gestão descentralizada e participativa, aproximando os campos da pesquisa e da atenção à saúde. O programa tem ainda parceria do CNPq.

Todos os editais podem ser acessados no site da Fapeg: www.fapeg.go.gov.br

 

 

Assessoria de Comunicação Social da Fapeg.

Governo na palma da mão

Pular para o conteúdo