[caixa_de_pesquisa]

Publicadas retificações de chamadas públicas 06 e 07/2016

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás publicou retificações de duas chamadas públicas lançadas no último mês de dezembro: Programa de Apoio a Núcleos de Excelência (Pronex) e Programa de Apoio a Núcleos Emergentes (Pronem), editais 06 e 07/2016, respectivamente. Os pesquisadores interessados em submeter propostas a algum dos dois editais devem ficar atentos às alterações que podem ser conferidas no link.

Pronem

Poderão se inscrever no edital Pronem pesquisadores que sejam bolsistas de produtividade do CNPq (PQ ou DT), categoria 2, vinculados a Instituições de Pesquisa e Ensino sediadas no Estado de Goiás que se destaquem nas atividades do projeto submetido. Os recursos destinados ao Pronem somam R$ 4,5 milhões, sendo R$ 1,5 milhão da Fapeg e R$ 3 milhões do CNPq. Serão contemplados projetos com valores de até R$ 200 mil.

São considerados Núcleos Emergentes grupos de pesquisa, já estabelecidos ou em fase de implantação, com linha de pesquisa comum ou complementar, de reputação técnico científica reconhecida e posição de destaque em sua área de conhecimento. Os núcleos, que devem ter histórico de colaboração, por meio de projetos, publicações e orientações comuns, devem estar organizados para desenvolver projetos de pesquisas científica, tecnológica e de inovação que possam contribuir significativamente para o avanço e a difusão do conhecimento, em área de fronteira da ciência ou da tecnologia.

Pronex

Já as inscrições para o Pronex poderão ser feitas por pesquisadores bolsistas de Produtividade em Pesquisa categoria I do CNPq que se apresentem como líderes de Núcleos de Excelência e que tenham vínculo com instituições científicas e tecnológicas também sediadas em Goiás. O edital beneficiará cinco Núcleos de Excelência com R$ 300 mil cada um. O investimento total será de R$ 1,5 milhão, sendo R$ 500 mil da Fapeg e R$ 1 milhão do CNPq.

São considerados Núcleos de Excelência, grupos organizados de pesquisadores e técnicos de alto nível, em permanente interação, com reconhecida competência e tradição em suas áreas de atuação técnico-científica. Os Núcleos devem ser capazes de funcionar como fonte geradora e transformadora de conhecimento cientifico-tecnológico para aplicação em programas e projetos de relevância ao desenvolvimento do país. Também deverão ser caracterizados por uma área ou tema de atuação bem definidos, em área de fronteira da ciência ou da tecnologia.

 Assessoria de Comunicação Social da Fapeg

Governo na palma da mão

Pular para o conteúdo