População quilombola em Goiás ultrapassa 30 mil pessoas

Comunidades têm sido beneficiadas com políticas adotadas pelo Governo de Goiás, que incluem programas sociais, incentivo ao empreendedorismo, acesso à energia elétrica, água encanada e internet

O município de Cavalcante, na região Nordeste de Goiás, é a terceira cidade com maior proporção de moradores quilombolas no Brasil, chegando a 57%. É o que revelou o Censo Demográfico 2022, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nesta quinta-feira (27/07).

Segundo o levantamento, Goiás reúne 30.387 quilombolas. No país, eles são 1.327.802, correspondendo a 0,65% da população brasileira. Esta é a primeira vez que o IBGE contabilizou a população quilombola. 

De acordo com Censo 2022, há 1.696 municípios com população quilombola e 473.970 domicílios particulares permanentes com esses moradores.

A região com maior quantidade é a Nordeste, com 905.415 quilombolas, correspondendo a 68,2% da população quilombola. Depois vem o Sudeste, com 182.305 pessoas e o Norte, com 166.069, ambas contabilizando 26,24% dessa população. As regiões Centro-Oeste e Sul reúnem 5,57% dos quilombolas, com 44.957 e 29.056 pessoas, respectivamente.

Políticas públicas

Em Goiás, os quilombolas têm sido beneficiados com várias políticas públicas implementadas pelo governador Ronaldo Caiado, desde o início da sua primeira gestão, em 2019.

Depois de fazer o mapeamento e reconhecimento das comunidades no Estado, houve a inclusão dos seus integrantes nos programas Aprendiz do Futuro, voltado para os jovens, e Mães de Goiás, para a primeira infância. Também foram oferecidos cursos de qualificação, repasse de recursos financeiros para incentivar o empreendedorismo, por meio do crédito social, e distribuição de absorventes, com o Dignidade Menstrual. 

A presidente de honra da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG) e coordenadora do Gabinete de Políticas Sociais (GPS), primeira-dama Gracinha Caiado, lembra que, logo nos primeiros meses de governo, o Índice Multidimensional da Carência das Famílias (IMCF), implementado pelo GPS em parceria com o Instituto Mauro Borges (IMB), apontou que grande parte dos municípios onde estão as comunidades quilombolas apresentava os maiores índices de carência nas áreas de renda, moradia e educação. 

“Não poderíamos ficar de braços cruzados. Ronaldo Caiado foi eleito para ser o governador de todos os 7,2 milhões de goianos e é por isso que ele trabalha todos os dias para acabar com as desigualdades regionais, para regionalizar a saúde e para que todos os benefícios sociais do governo cheguem a quem realmente mais precisa”, lembra Gracinha. 

Desde então, várias comunidades foram beneficiadas com a chegada da energia elétrica e água encanada com tarifa social, distribuição e troca de geladeiras, internet, incentivo a projetos culturais e concursos na Secretaria da Educação (Seduc) para professores quilombolas.

Em 2022, foi realizada a primeira Copa Quilombola de Futebol, promovendo o entretenimento e interação entre as comunidades e que, neste ano, terá a segunda edição. 

Em maio de 2022, o Governo de Goiás entregou certificados a 111 presidentes e lideranças de associações quilombolas que concluíram o curso Empreendedorismo Social, realizado em parceria com o Sebrae. Na ocasião, foram investidos R$ 500 mil, via Crédito Social, para fomentar empreendimentos nas comunidades.

No último mês de abril, o programa Dignidade, que faz o repasse de R$ 300 para pessoas idosas entre 60 e 65 anos, inaugurou a entrega dos primeiros cartões para quilombolas de Cavalcante, contemplando todos aqueles que residem no município e atendem aos critérios exigidos.

“Tenho um carinho especial pelas nossas comunidades quilombolas. Falar delas é falar em tradição, é falar de um povo que cuida das riquezas naturais e guarda no coração uma história de luta e de resistência”, afirmou a primeira-dama Gracinha Caiado. 

O titular da Secretaria de Desenvolvimento Social do Estado (Seds), Wellington Matos, lembra, ainda, que as informações do Censo Demográfico 2022 sobre a população quilombola em Goiás já era de domínio do governo do Estado.

“Foi a partir do levantamento feito que, ainda em 2019, o governo levou medidas de proteção para esse grupo, como, por exemplo, ocorreu com a distribuição de álcool gel e cestas básicas durante a pandemia, sendo ainda um dos primeiros a serem vacinados em Goiás”, emenda Matos.

Secretaria de Estado Desenvolvimento Social – Governo de Goiás

Governo na palma da mão

Pular para o conteúdo